Com produção de vacinas parada, Brasil chega a 444 mil mortes por Covid-19

No dia em que o Brasil registrou os primeiros casos da variante indiana da Covid-19, o país chegou à marca de 444.094 mortes pela doença. Apenas nas últimas 24 horas, foram 2.403 novos óbitos, segundo dados do Ministério da Saúde atualizados nesta quinta-feira (20).

 (Foto: Andre Coelho/AFP)


Apesar de o número ser menor do que aquele registrado no auge da pandemia, em abril — quando as mortes diárias chegaram ao patamar de 4,2 mil — os números apontam para um aumento de casos, o que pode levar a altas em internações e óbitos nas próximas semanas. Nas últimas 24 horas, foram 82 mil novos casos confirmados da doença.


Desde o início da pandemia, já foram confirmados 15,9 milhões de casos de covid-19, sendo que o Sudeste é a região com o maior número de infectados: 5,9 milhões. Desse total, São Paulo responde por 3,1 milhões de casos, com 106 mil óbitos.


Em segundo lugar na região está Minas Gerais, que tem 1,4 milhão de infectados e um total de 38,2 mil mortes. No Distrito Federal, já são 396 mil casos confirmados e aproximadamente 8,4 mil mortes. A capital do país já vacinou 580 mil pessoas com a primeira dose e 299 mil com a segunda.
ImunizaçãoA imunização segue a passos lentos enquanto o país depende de insumos para a produção de vacinas. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que produz a vacina da Astrazeneca/Oxford, anunciou hoje que paralisou a fabricação por falta de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA).


A produção deve ser retomada só na próxima terça-feira (25), já que a Fundação espera um novo carregamento de IFA para o próximo sábado (22), que será suficiente, segundo a instituição, para produzir 12 milhões de doses. A Fiocruz espera, no entanto, que a paralisação temporária não tenha impacto em futuras entregas.
O Instituto Butantan também deve receber um carregamento de 3 mil litros de IFA na próxima terça-feira, conforme anunciado pelo embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, em reunião com membros do Fórum dos Governadores. O montante deve ser suficiente para produzir 5 milhões de doses da vacina Coronavac.

Diario de Pernambuco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *