Maio será mês difícil para Covid-19 em PE, diz secretário de Saúde

 (FOTO: Divulgação)

Em entrevista coletiva realizada na tarde desta quinta-feira (6) o médico e atual secretário estadual de Saúde, André Longo, afirmou que apesar de Pernambuco maio será um mês muito difícil. O cenário, segundo ele, já ocorreu no primeiro ano de pandemia. O motivo, segundo Longo, é a já tradicional incidência elevada de doenças respiratórias (além da Covid-19) nesta época.

“A situação ainda será preocupante e maio ainda será um mês difícil, porque historicamente é um período de alta nas ocorrências de doenças respiratórias. Não necessariamente só por Covid, mas outras doenças respiratórias, causadas por outros vírus e outros agentes epidemiológicos, como bactérias”, explicou o secretário.
Apesar da dificuldade já projetada devido à possibilidade de mais pressão sobre o sistema de saúde e da alta taxa de ocupação de leitos no estado (97%), as medidas restritivas já adotadas até então não serão endurecidas, apenas mantidas. O secretário explicou que a razão para isso é que os números mostram Pernambuco num platô (estabilização elevada) de casos, mas sem aceleração da transmissão.

É importante lembrar que, como lembrou o secretário de Saúde, as medidas de distanciamento social, uso correto e constante das máscaras e higiene adequada seguem sendo mais importantes do que nunca, inclusive para pessoas que já terminaram seu esquema de vacinação.

“As vacinas não protegem 100% da infecção, nenhuma delas. As que têm maior eficácia do ponto de vista de proteção para a infecção têm 95% de proteção quanto a se infectar com o vírus. (…) Mas a pessoa que se vacina, mesmo com a segunda dose, ainda pode ser portadora do vírus, ainda pode ter eventualmente sintomas leves e ainda pode transmitir o vírus. A prevenção é a regra mesmo para as pessoas vacinadas”, ressaltou Longo.

Diario de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *